Consciência Corporal

Neste trabalho treinamos a arte de observar os mecanismos em ação na respiração e as várias forças físicas, emocionais e mentais que sobre ela incidem. Isto depende em grande parte, de aprender a sentir-se a si mesmo, a ouvir-se, a expandir a atenção para abarcar as impressões sensoriais continuamente despertadas no organismo.

Quando o conseguirmos, começaremos a notar vários hábitos de nossa estrutura psicofísica, juntamente com os princípios fisiológicos que dão a esses hábitos o poder de influir em nossa saúde. Começaremos a ver quais são as formas particulares pelas quais reagimos, mental e emocionalmente, às várias fontes de stress presentes em nossa vida, às ameaças e exigências que, em geral inconscientemente, percebemos quando colocados diante de novas circunstâncias. Isso é muito importante, uma vez que hoje em dia se crê que os distúrbios direta ou indiretamente relacionados ao stress produzem cerca de 50 a 80% do total de doenças.

Entre esses distúrbios incluem-se a hipertensão, as cardiopatias, a síndrome do cólon irritável, a depressão, a artrite, a insônia, úlceras, resfriado crônicos, certos tipos de câncer e muitos outros mais.

Porém, aprendendo a sentir-se com mais precisão, a pessoa pode começar a entender que o problema nem sempre é o stress em si – na verdade, um pouco de stress pode mesmo ser benéfico para a saúde -, mas sim a forma com que habitualmente se reage a ele. É aqui que as emoções desempenham papel fundamental.

O corpo é nossa memória mais arcaica. É nosso instrumento para tudo o que expressamos e também o que pensamos deixar de expressar. Isso tudo é falado e mostrado no corpo. Nestes encontros a intenção é restaurar o fluxo e criar harmonia onde havia dissonância. E dentro dessa perspectiva o trabalho com o corpo se segue com este intuito: o despertar a consciência no corpo e pelo corpo. A pulsão da vida requer energia fluida, abundante. Então entramos em contato com o CORPO: percebendo, escutando, respirando conscientemente, movendo…

É só dedicarmos um tempinho para escutá-lo para nos darmos conta do que passa.

Esta é a nossa proposta: escutar o corpo, dar esse tempo para sentí-lo; percebê-lo, afim de entrar em contato com as dificuldades instaladas no corpo com o objetivo de remove-las.

Muitas técnicas serão utilizadas: bioenergética, respiração, intenção, atenção afim de permitirmos o livre movimento que
sentimos dentro do corpo…

O objetivo desse exercício é possibilitar um contato consigo, na construção do autoconhecimento estando consciente no corpo. Observando os obstáculos e bloqueios ao percurso da energia vital. Entrar em contato com a qualidade que fixa interrompendo o movimento harmônico no corpo. É como afinar um instrumento para que este vibre em notas harmônicas.

O corpo humano é um conjunto de sistemas de redes multidimensionais. Os sistemas se correlacionam e se algum se desarmoniza, toda a melodia é afetada; Em maior ou menor grau.

É um trabalho que difere do trabalho do hatha yoga no seguinte aspecto:
enquanto no hatha yoga as posturas são orientadas pelo instrutor, aqui neste trababalho o objetivo é que cada pessoa encontre seu próprio movimento. É um trabalho de livre expressão. Onde o facilitador utiliza de recursos como: respiração, bioenergética (grounding), intenção, música, dança, entre outros tantos instrumentos, afim, de colaborar para que cada um possa sentir-se e perceber o fluxo energético no corpo.