Diante de inúmeras informações equivocadas que têm circulado pela internet, o Sindicato dos Servidores de Paulínia vem a público prestar esclarecimentos sobre as eleições para o Instituto PauliPrev.
– No dia 30 de março serão realizadas eleições para escolher três servidores, que atuarão como representantes da nossa categoria no Conselho Administrativo do Instituto.
– Depois de várias lutas travadas no ano passado, conquistamos novamente o direito de coordenação das eleições sob a responsabilidade do Sindicato.

Assim, em 13 de fevereiro, o Sindicato realizou uma Assembleia Geral para aprovar o Regulamento Eleitoral, que balizará todo o processo. Depois de amplas discussões, o texto final do Regulamento foi aprovado pela Assembleia.
– Após a aprovação do Regulamento, a Assembleia passou a discutir diversos assuntos de interesse da categoria. Entre eles, a necessidade de lutar para que haja PARIDADE NO CONSELHO ADMINISTRATIVO DO PAULIPREV. Hoje, os servidores municipais – com apenas três representantes – são MINORIA no Conselho. A maioria dos conselheiros, cinco deles, é indicada pelo Poder Executivo; e um pelo Poder Legislativo.
– A atual composição do Conselho foi definida pela Lei 18, de 2001, que criou o PauliPrev. E ela só poderá ser alterada a partir de um novo Projeto de Lei, aprovado na Câmara Municipal e sancionado pelo Poder Executivo. ENQUANTO ISSO NÃO OCORRER, A LEI 18 DE 2001 é a que está em vigor e é ela quem estabelece a atual composição do Conselho.

– Assim, as atuais eleições ainda estão regidas por essa lei, que vem sendo duramente contestada pelo nosso Sindicato.

– A luta pela PARIDADE é uma das bandeiras do Sindicato dos Servidores, uma vez que os recursos do PauliPrev pertencem à categoria e NÃO AO PODER EXECUTIVO.

– Na Assembleia Geral do dia 13, ficou decidido, por unanimidade, que os servidores querem outra composição no Conselho do PauliPrev.

– Por decisão da ampla maioria, a assembleia defendeu que a categoria deve lutar pela seguinte composição do Conselho: três membros indicados pelo Poder Executivo; um pelo Poder Legislativo; três eleitos entre os servidores ativos; dois eleitos entre os servidores inativos e, por fim, um eleito entre os pensionistas. Sendo que o presidente será indicado pelo Poder Executivo, mas com base em uma lista tríplice votada pelos servidores.

– Assim, cabe agora ao Sindicato e aos servidores LUTAREM PARA OBTER ESTA CONQUISTA. Mas ela só será possível com a aprovação de uma nova Lei pela Câmara e pelo Executivo.

– Aliás, o Sindicato já comunicou oficialmente ao presidente do Instituto e a Prefeitura, sobre a decisão tomada da Assembleia.

– Portanto, são totalmente descabidas e errôneas as informações que têm circulado nas redes sociais, afirmando que o Sindicato não respeitou a decisão da Assembleia Geral do dia 13, ao publicar a Ata de Convocação para as eleições de TRÊS representantes dos servidores.
Afinal, a lei atualmente em vigor define que são apenas três os nossos representantes no conselho.

Ontem (21/02) ocorreu uma reunião na Pauliprev e a proposta retirada da assembleia foi lida e discutida, porém outras duas propostas foram apresentadas e a proposta legitima dos servidores aprovada em assembleia nao recebeu nenhum voto dos conselheiros indicados e eleitos!!!
Eis ai o motivo pelo qual a paridade precisa ser defendida pelo Sindicato e pela categoria.

A NOSSA LUTA DEVE SER PELA MUDANÇA DESTA LEI! E a categoria precisa estar unida para conquistar isso.
Estamos agendando uma reunião com a comissao eleitoral e em breve traremos mais informações sobre todo o processo eleitoral.

VAMOS JUNTOS, A LUTA É DE TODOS NÓS!